terça-feira, 30 de junho de 2009

Pernas longas.

O sorriso dele não podia exibir maior satisfação. Acomodado sobre a desordem dos lençóis, ele a observava, apreciando a lentidão com que ela se vestia, sentada na cadeira em frente à cama. Percebendo o olhar dele, ela sorriu.

— Você fica linda nua, sabia? — ele disse, os braços displicentemente cruzados atrás da cabeça.

— É? — o sorriso dela se alargou. — Pareço pretensiosa ao dizer que sei disso? Porque você repete umas dez vezes sempre que nós...

Ela completou a frase com um arquear da sobrancelha direita que sabia que o agradava,

e muito. Subiu pelas pernas a calcinha rendada.

— De forma alguma. Parece ainda mais linda. E mais desejável. Ande, não vá agora.

— Ah, meu amor, é preciso. O tempo que passamos juntos foi maravilhoso. Sempre é maravilhoso. Mas quem chama é o Dever. E, junto dele...

Ele sentiu o sorriso vacilar enquanto a observava curvar-se e amarrar

a sandália na perna, impecavelmente lisa e esguia. Ela imprimiu às palavras um to

m e um sentido desconfortavelmente ambíguo e lânguido. Passado um minuto silencioso, em que ele apenas contemplou sua pequena beldade fechar, um a um, os ganchos do espartilho de

cetim e renda negra, o rapaz decidiu achar que era apenas impressão sua. Para disfarçar,

estendeu a mão até o aparador, escolheu sua mais cara garrafa de uísque, pegou o copo que repousava no criado-mudo e encheu-o. O gesto não passou despercebido a ela, que levantou-se, sorrindo.

— Sabe — ela começou, provocante — sempre fui uma moça muito... Romântica. Desde criança, decidi que ficaria pra sempre com alguém que me arrebatasse desde o primeiro olhar.

Ele sorveu a bebida num só gole e sorriu, presunçoso.

— Ah, é? Que me diz destes sonhos agora, bela? — respondeu, a voz empastada.

Enquanto vestia, com notável elegância, o vestido vermelho, cingido de botões do decote à barra, no meio de suas coxas, ela riu, um riso que misturava ironia e pena. Que ele também decidiu achar que eram frutos de sua imaginação. O que ele não notou, e não por decisão sua, mas por descuido, foi o pó branco no fundo de seu copo.

— Eles continuam de pé, Maurício. Por isso, quando eu cruzar aquela porta, não voltarei mais.

E, mais uma vez, ele decidiu achar que era brincadeira. E o sono que fazia suas pálpebras insuportavelmente pesadas, ele julgou fruto do cansaço – Simone era habilidosa.

— Ora, meu bem — ele replicou, entre um bocejo e outro — não seja boba. Estamos arrebatados um pelo outro. Um ano. Desde que nos conhecemos, no bar. Nunca mais nos separamos desde então. Você... Você disse que me ama.

— Sabe que mentir é fácil? — ela disse, num tom de voz levemente sádico. — Eu menti, Maurício, uma, duas, mil vezes. Menti quando te disse que te amava. Menti quando te disse que tinha muito dinheiro. Menti quando te disse que não queria o seu. Menti cada orgasmo. Menti. Sei muito bem alongar as pernas da mentira, sabe? Mas... — e ela ergueu a mão esquerda, a palma voltada para o seu rosto, de modo que ele pudesse ter uma boa visão do grande anel de brilhantes em seu anular. — As recompensas... Bem...

Subindo o zíper do vestido, ela apanhou a bolsa, abriu-a, retocou seu batom carmim e observou-o, dominado por um sono tão terrível que minava-lhe as forças.

— Você é ruim de cama, Maurício, ah, você é. — ela disse, antes de sair pela porta e trancá-la por fora.

9 comentários:

Eduardo Leite disse...

depois de foder, quem se fodeu foi ele, adorei kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Nelson disse...

tu ia me foder!!!
olha só como tu é...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

mas eu gostei.
gostei muito. a riqueza dos detalhes e das pernas da mentira.

hahahaha

=*

crap disse...

e quem vai saber se ela não mentiu cada mentira?


depois que se mente uma vez toda verdade pode ser mentira.

quando só se fala a verdade, cada mentira parece verdade.

Lívia Vasconcelos disse...

ôeeeeeeeeeeeeee..
ainda fala dos meus versinhos, né?
Eu gosto muito de escrever essas coisas...que nos trazem imagens.
e sua personagem é poderooooooooooooosa
hahahah

:****

Lipo de Alcantara disse...

merecia um final feliz ^^

Isa disse...

Preciso dizer que este post é MINHA cara?? hahahahahaha!!

The best ever, irmã. ADOREEEI!!

Sóstenes disse...

Oi, Lud. Invado esse espaço por que não sei como entar em contato com você. Incrível, né? Deixei algo para você no seu orkut. Dá uma olhada nos depoimentos. Sorte. Beijo.(De um dos que teve a impertinência de te recomendar cursos mais felizes).

Tay disse...

OMGGG XDD

Maurício? Esse nome não me é estranho...
a
Mulher morra! Sou sua fã XD

Amanda Hortência disse...

Lud, estou emocionada. Isso é pura Mimese!
-a
Tu escreve pkraio! X)