sábado, 25 de julho de 2009

Carta de amor de uma cética

"Sabe,
Nós não fomos, nem de longe, feitos um para o outro. Nunca vi um par tão ímpar; água e vinho, noite e dia. Aos que me vêm com a velha máxima de 'os opostos se atraem', eu rebato com um veemente 'não creio em fórmulas prontas'. Não... A explicação não pode ser tão banal, meu caro.
Eu sempre estive com caras que julguei legais por dividirem comigo gostos, trejeitos, manias e creio que eles também me supunham legal por isso. Ah, os inícios eram lindos! Dignos de roteiro cinematográfico, mesmo. Cada ponto em comum descoberto era celebrado com um sorriso e um arregalar de olhos: 'puxa, como combinamos!'. Mas, com o tempo, tudo isso tornava-se monótono. O antigo olhar de surpresa dava lugar ao tedioso olhar de 'surpreenda-me, pelo amor de Deus'. Eu cansava de amar meus espelhos. E eles cansavam de mim. Parti o coração de uns dois quando fugi antes que eles se fartassem, também uns dois me partiram o coração, mas em geral era cansaço mútuo. Afinal, que egocentrismo amar sua própria imagem, não?
E aí me surge você. Devo confessar que, à priori, não fui muito com a sua cara. Te achei meu avesso demais, se é que você me entende. Aliás, não fosse aquela bendita aguardente, meu bem, não sei se teríamos passado de educados 'oi, olá, como vai' que a obrigação de estar num ciclo de amigos em comum criou. Eis que por acidente eu provei tua outra metade, o meu completo oposto.
Quem me bombardeia com o papo de 'ah, ele te completa' conta com meu imediato asco. Não. Ninguém me completa, não a mim, uma escorpiniana amante do amor-próprio. Eu aprendi a me bastar. A vida me ensinou. Não. Sou mais adepta ao 'oposto complementar'.
Você veio e me pôs numa montanha-russa, onde, constantemente, eu sinto o arrepio de não saber o que vem depois. Você foge feito um condenado de qualquer coisa que comece a vestir-se de rotina. E eu, sempre tão prática, sempre tão metódica, acho graça nisso. Sobra em mim a calma que te falta. Falta em mim o carisma que te sobra. Talvez por isso eu me sinta tão bem. Talvez por isso eu te peça cinco minutos sempre que você tem que ir. Talvez por isso insinue-se na minha vontade um 'eu te amo' que eu preciso verbalizar.

Eu te amo".

9 comentários:

Isolda Herculano disse...

Que máximo! Veja, há muitas pessoas por aí procurando os seus “iguais” – a tampa da panela, a metade da laranja ou coisa que o valha. Esse pensamento coletivo, às vezes, nos leva a idéia – errônea, na minha humilde opinião – de que o amor pelo diferente é impossível, perigoso ou tende para um final infeliz. Não, não. Não me conformo disso. Comédias românticas de ‘Roliúde’ são coisas bonitas e divertidas, dão um bom enredo e, talvez, uma boa bilheteria. Mas tem um detalhe: não são vida.

Ah, seu texto me lembrou uma música dos Paralamas: Seja Você. Que diz: “Eu não te completo. Você não me basta. Mas é lindo o gesto de se oferecer”.

Abraço.
Isolda.

Isa Diamonds disse...

Irmã, eu me indentifiquei horrores com esta carta de amor. Não apenas por ser cética, mas por
especialmente, não ser clichê.

Eu sempre te disse que Deus fez os anjos para viverem sozinhos, não é? Não para incliná-los à solidão, mas para se auto bastarem. E metade da laranja, só na música de Fábio Jr.

Simples e lindo texto, mais que qdo vc me ditou. Como sempre, vc me orgulha.

Coruja confessa.

Eduardo Leite disse...

Quem manda beber? Aí vai e se atraca com o estranho aí hahahahahahahahaha Incrível como sempre que eu venho nesse teu blog, eu fico impressionado com o fato de você escrever bem pra caralho!

Beijo;

Lipo de Alcantara disse...

Assino em baixo

Victor disse...

UAHUASHUHASUHAS Eu só tenho a agradecer por ter uma filha tao.. tao... nem tenho palavras XD amanha vo te ver na ABL e vc vai me receber bem viu? Te amo <3

Tay disse...

Isso, me surpreenda mais! (y)
Seus textos são perfeitos demais! Mas sabe humilhar, né? XD

crap disse...

sua mocinha está com um mocinho que a surpreende todo santo dia ao fazê-la se questionar: como é que estou com ele?
e ela gosta... gosta porque sabe que não há explicações óbvias e procurá-las demoraria um tempo que ninguém tem.

Rafa disse...

Você tem produzido bem mais que eu... Nem vale. =P Os textos estão todos lindos e fazendo sucesso, tá arrasando, hein, Lud?

P.S.: acho que seu blog não tá na minha lista o.O Vou colocar de novo

Rivison disse...

Poxa, que texto fantástico. Parabéns, moça. Ah, to seguindo seu blog. Segue o meu tbm, pra eu ter 6 seguidores =D. Bjos

=*