quarta-feira, 29 de abril de 2009

Num dia de domingo...

Bah. Era sonho. Que injusto!
Entreabri os olhos sem a certeza de que horas seriam. Uma claridade tímida, quase uma carícia, adentrava o quarto pelas frestas da cortina fechada. Ainda perdida entre sonho e realidade, aborrecida pela interrupção das imagens maravilhosas com que minha mente me brindara aquela noite, julguei ser cedo demais e afofei o travesseiro sobre minha cabeça. Mas o sono recusou-se a vir novamente. Suspirei, amaldiçoando Morfeu e, apenas por curiosidade, consultei a hora no relógio do celular.
Nove da manhã.
Nove da manhã?
Impossível. Alguém avise ao sol que ele esqueceu-se de brilhar. Levantei-me e, apesar da minha cara de travesseiro, abri as cortinas, expondo meu rosto à vizinhança. Um cinza-chuva desolado coloria o céu. O céu de Domingo.
Domingos nunca contaram com meu apreço. O Domingo nada mais é que véspera da Segunda-Feira. E a Segunda, maldita, é apenas a ratificação de que a vida é o que é. De que tudo retorna à estaca zero. De que o CD acabou e temos que apertar o repeat se quisermos continuar a ouvi-lo. Definitivamente, meus domingos são melancólicos. E a chuva daquele em especial era apenas um apêndice. Oh, vida. Longo dia.
A TV aberta do Domingo. Programação fútil. A Internet no Domingo. Nenhum amigo online. Na certa, eles estão "dispersos pelo mundo". Todos os livros da prateleira eu já li, e mais de uma vez.
— Não poderia ser pior, não é?
NUNCA, JAMAIS, enuncie essa frase. O fantasma de Murphy pode estar à espreita, esperando pobres vítimas para aplicar sua lei, sua desgraçadamente verdadeira lei. E não é que o bandido lá estava? Ele sentiu o cheiro do meu desespero. A porta rangeu, e a figura que estampava um enorme sorriso serelepe no rosto conseguiu esticar ainda mais o ricto ao ver-me no sofá, numa expressão definitiva de derrota.
— Ah, olá! — ele disse.
— Alô, tédio, alô.

4 comentários:

Isa disse...

Eu tenho um orguuuuuulho de tu!!!

Mas td vez q venho ao teu blog,não posso permitir minha música: vc impõe a sua.

:**

Eduardo Leite disse...

Impublicável? acho não =x depende do destino. E sobre os domingos da vida, relaxe, eles são todos iguais mesmo, você se acostuma.

Lipo de Alcantara disse...

Domingo?

Fardo que os infelizes derrotados devem carregar por toda sua medíocre vida...

Me surpreende vc... senti, talvez pela primeira vez, vocÊ... simples, leve e vocÊ =D

sua cara o post ;*

crap disse...

tédio = punheta.