terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Irrevogável

— Se eu me perder de você, talvez me ache de novo.

— Por que você condiciona uma coisa à outra?

— Por que foi você que me tirou de mim. Mas não estou responsabilizando você, nem nada do tipo.

— Imagina se estivesse...

— É sério. Eu não te privaria da culpa se ela existisse. Mas não existe. Não em você.

— E ainda assim, não consigo me sentir aliviado.

— Você fez o que tinha que fazer...

— Fazer você se perder de si? Queria ter tido uma missão mais nobre...

Ela gargalhou. E ele nunca havia ouvido um riso tão triste e alegre ao mesmo tempo.

— Não poderia ser mais nobre, meu bem! Eu me perdi, é verdade, mas tive o absurdo nas mãos... Não há nada que me seja mais precioso e importante. É isso o que eu devo a você. Foi essa a sua missão. — ela respondeu, terna, tomando-lhe o rosto nas mãos.

— E agora a gente tem que se perder um do outro? — ele aconchegou-se a ela.

— É. Precisamos voltar pras nossas vidas.

— E isso não é parte dela?

— É sim, a melhor parte. A parte que despreza a realidade, as convicções, as medidas, a razão... Você me deu o melhor de mim, eu, que já andava poluída de tanta razão nas minhas veias.

— Mas então... Por que não estender isso?

Ela riu, mais uma vez, e enlaçou-o como se quisesse retê-lo em si para sempre.

— Porque é assim que eu quero me lembrar de nós... Inteiros. Felizes. Antes que alguma bobagem venha erodir o que somos. Prefiro congelar nós dois assim.

Ele suspirou e assentiu. Levou o polegar aos olhos dela e, delicadamente, limpou duas lágrimas que brotavam. Beijou-a na testa, nas maçãs do rosto, na ponta do nariz. Ela estremeceu.

— Eu só não quero que o mundo nos estrague... — ela balbuciou, a voz embargada.

— Sssshhhh.

E ele colou os lábios nos dela.



9 comentários:

Mika disse...

Nossa, muito lindo.
Tocante, sem dúvidas nos alcança, mostrando a visão do nosso lado racional, ao mesmo tempo da visão emocional.. LIMDA

Felipe J disse...

um ritmo acelerado, que acelera o coração

laayycullen disse...

Que lindo, sogrinha! Muito meigo, fofo... Adorei, pra variar! *-*

Marden disse...

Bom, maninha, muito bom. Eu sempre te disse que você brilha nesse tipo de texto.

"We'll aways have paris..."

Uiberon disse...

O que eu posso dizer, né?... Você sabe que eu amo seus textos. A personagem feminina, triste, mas fazendo-se de forte em sua fala, tentando não demonstrar o quanto temia... Só para ser dedurada pelo próprio corpo, que a fez tremer e derramar lágrimas. Lindo.

Isa Diamonds disse...

Lindo. Tive um acesso de nostalgia.

Rogo para que suas despedidas, todas elas, sejam melhores que as minhas e se eternizem belas enquanto o são. E terminem na hora que têm de terminar, como Ronaldo, o grande Fenômeno.

Que vc sinta todas as dores de se despedir de um grande e fulgás amor porque em breve, são dores que se tornam uma gostosa saudade.

Eu estarei sempre aqui, pra qdo vc precisar.

Te amo.

Rafa disse...

Muito lindo e muito bem concluído, está de parabéns. ^^ Não tem coisa melhor do que traduzir as emoções mais fortes em palavras para que todos possam ler... Espero que você continue sempre tirando coisas boas de cada acontecimento da sua vida com esse seu talento admirável.

beijo e nos vemos em uma semana e meia ;D

crap disse...

gostei das descrições precisas e rápidas, mas gostei especialmente do diálogo real e tocante.
muito bem, minha velha, curti.

Marco Fischer disse...

Triste e tocante. Cada despedida deixa uma cicatriz invisível a sua maneira.

Mas as melhores são aquelas das quais acabamos tendo orgulho depois, como se fossem furtos de uma batalha silenciosa.