domingo, 28 de fevereiro de 2010

Justitia

É tão injusto minha felicidade repousar em mãos alheias.

Se as coisas fossem do jeito que deveriam ser, eu seria a responsável por tudo ao meu respeito. Meus sorrisos, meus medos, minhas tristezas, meus cuidados, minha segurança, minhas aflições. Eu, e somente eu, resolveria tudo.

Eu seria a força motriz da minha felicidade. Saberia os exatos recantos onde ela se esconde. Saberia encontrá-la nos detalhes mais ocultos, nas incógnitas mais intrigantes. E ela seria plena. Sem poréns, sem restrições.

Imaginem quantas lágrimas me seriam poupadas, quantos sonhos não me cegariam, quantas horas de sono eu reaveria. Minha mente cairia nas graças da sanidade e quem sabe algum bom senso habitaria minhas decisões.

Mas, ai de mim. Sou portadora de uma máquina burra chamada coração. E a tal máquina protela qualquer razão, qualquer sanidade, qualquer bom senso, qualquer amor próprio, qualquer tudo, quando cisma em ter alguém.

E então não durmo; e então eu sonho; e então me aflijo; e então machuco o silêncio das minhas madrugadas com o som de um choro confuso; e então eu...

E então eu vejo a poesia em tudo. E então eu visito mundos dentro deste mesmo mundo. E então, só então, eu me sinto viva.

14 comentários:

Rivison disse...

Poxa lud, precisava ler isso antes de dormir... Dizem que existe causa pra tudo, n é? A causa da minha insônia foi chegar no seu texto antes de fechar os olhos. Bjo mocinha

Mika disse...

Ouwnnnnn xuxu!
Que lindo. A tpm tem seus bons frutos né (L) AIDJASIODJAOIJDOAISDJ
Mas amr sua felicidade está nas suas mãos *O*
Essa de querer um amor é modismo. -A
Ouça mais Lily Allen FIKDIK iosjdOIJDOASIJDAOJDOI
Te amul xero ;*

Rafa disse...

*_* Que texto magnífico, de verdade. Não se estendeu muito, mas disse tudo, como sempre expressando com exatidão sentimentos e sensações que passam pela mente de todo mundo. Parabéns, Lud, e que bom que voltou a atualizar o blog! Agora vê se não para =P

Até mais tarde! o/

Clauderlan Vilela disse...

Sensível e profundo...

Digno dos amantes, dos que vivem uma realidade transformada em poesia.

Belo texto!

Tay disse...

Nossa Lud. Me identifico com seus textos, mas esse me fez ver o quanto nós somos parecidas. Por que você escreve tão bem, heim? ç.ç

Kyou disse...

se mata e me ensina a escrever??????

Isa Diamonds disse...

Eu sempre sou sua fã mais coruja, vc sabe.

Mas desta vez, achei sensível demais. Um tanto over, deve ser minha natureza castradora de fragilidades, minha própria, dirá as alheias.

Achei talvez, previsível. Deve ser pq te conheço bem.

estacaodaschuvas disse...

Tpm...
Pff.

Marcus Vinicius disse...

É alma em preto e branco.

Lipo d'Alc disse...

precisamos de conversa... eu cuido disso. vc como sempre com seu exagero que lhe é peculiar... é isso que é desnecessario.

Eu enfin consegui descobrir o porque daquelas 4 palavras, lembra?

Elayne Pontual disse...

Lindo o texto. Concordo com vc, acho que dependemos sim das outras pessoas... como diria um conhecido meu muito querido: "O homem não percebe que ele faz parte do outro e que o outro faz parte dele também..."

Mayse Freitas disse...

me identifiquei bastante com o seu blog. (:
Principalmente essa postagem. Inclusive colokei no meu blog, falando como eu me indentifico com algumas postagens suas. Beijox)

Estêvão dos Anjos disse...

Quando comecei a ler eu via tanto o uso da primeira pessoa que já estava achando que seria um texto bem egoísta, mas aos poucos ele vai se transformando e virando sentimento ao invés da razão e percebe que em viver é necessária uma simbiose entre razão e sentimentos e entre o EU e os OUTROS.

João Pedro Laurentino disse...

Uau, gostei muito. *u*